A COMIDA E OS SIGNIFICADOS

Qual a sua relação com a comida?

Por Maíra Bueno | 05/12/2016.

A maneira como nos relacionamos com a comida diz muito sobre nossa própria vida. Nossas crenças, tabus, hábitos, modos de viver, expectativas. Tudo isso vai formando nossa alimentação. O lugar onde moramos, as pessoas com quem convivemos, o saber dos nossos entes queridos, nossas próprias trajetórias...


Esses elementos são chaves para pensar porque nos alimentamos dessa ou de outra forma. Ao passo que analisar a própria alimentação torna-se algo extremamente íntimo. E desafiador. Porque envolve questionamentos, lembranças, relações afetivas, representações sociais, enfim, uma série de aspectos que se revelam no alimentar-se.


A forma como nos alimentamos tem a ver com os significados que são atribuídos aos alimentos. São esses significados que fazem com que a ingestão da carne de certos animais, por exemplo, seja um tabu em determinadas religiões. Esses significados também indicam o que é ou não é considerado um alimento. Porque nem tudo que poderia ser comido torna-se propriamente um alimento!


São as pessoas que definem o que é ou não um alimento. E a cultura enquanto elo mantêm ou refuta a tradição em consumir aquilo que foi definido como alimento. Mas a cultura, assim como a vida, não é estática. A cultura está o tempo todo se transformando.


Então aquilo que um dia foi uma tradição alimentar pode ter caído no esquecimento, pode ter sido substituída por outra. Ou o contrário: aquilo que nunca foi consumido como alimento em determinado local tornou-se parte da identidade territorial. Uma tradição secular.


De modo que a disponibilidade de alimentos, apesar de ser fundamental, não é o que define nossa alimentação. Nossa alimentação segue caminhos muito mais subjetivos do que o simples fato de nutrir o corpo. Poderíamos comer uma infinidade de alimentos, mas escolhemos e restringimos aquilo que melhor se adapta às noções locais do que é um bom alimento.


Essa noção do que é um bom alimento varia. O alimento pode ser bom quando mantém a saúde plena ou quando garante prazer a quem está comendo. Pode ser bom para festividades ou para ser usado em momentos de jejum. O que é bom pode estar ligado aos valores morais ou aos valores econômicos.


Porque comer não é algo tão natural quanto pensamos. O ser humano, é claro, precisa comer para sobreviver. Nem por isso come apenas aquilo que garante calorias e nutrientes para o corpo. A alimentação se forma no coletivo, na comunidade. A atividade ligada ao comer é, antes de tudo, uma atividade social.


E você, já parou para pensar como se relaciona com a comida?






 



Divulgue esta ideia.